Vitamina D


Publicado: 2019-04-02


Por Dr. Michael Greger, M.D. FACLM, fundador do site nutritionfacts.com e autor do livro Como Não Morrer (com Gene Stone).

 

Recomendo que as pessoas que não consigam apanhar sol suficiente tomem um suplemento de 2000 IU de vitamina D3 por dia, idealmente com a maior refeição do dia.

No hemisfério norte, abaixo aproximadamente dos 30° de latitude (a sul de Los Angeles, Dallas, ou Atlanta), quinze minutos de sol por dia por volta do meio-dia sem protector solar deverá produzir vitamina D suficiente para caucasianos com menos de quarenta anos. Os que têm a pele escura ou são mais velhos poderão precisar de trinta minutos ou mais.

Mais a norte, a 40° de latitude (Portland, Chicago ou Nova Iorque), os raios solares encontram-se num ângulo tal durante os meses de novembro a fevereiro, que é possível que não seja produzida vitamina D. Por mais que tomássemos banhos de sol nus no meio da Times Square no primeiro dia do ano, não produziríamos qualquer vitamina D.

Acima dos 50° de latitude (Londres, Berlim, ou Edmonton, no Canadá), este “inverno de vitamina D” pode prolongar-se até 6 meses num ano.

Os suplementos de vitamina D são portanto recomendados para pessoas que vivam em latitudes mais elevadas durante os meses de inverno e para todos os que não se expõem suficientemente ao sol do meio-dia, independentemente da localização. O mesmo poderá aplicar-se a quem viva em cidades mais afetadas pelo smog, como Los Angeles ou San Diego.

Não recomendo solários. Estes podem ser tão ineficazes como perigosos. As lâmpadas dos solários emitem sobretudo raios UVA, os quais aumentam o risco de melanoma sem estimularem a produção de vitamina D.

[Portugal encontra-se a uma latitude aproximada de 39°, com os Açores a 37° e a Madeira a 32°]

 

(Do livro Como Não Morrer, Dr. Michael Greger, Editora Lua de Papel, pp.629-630.)

[Os estudos científicos citados podem ser consultados no livro.]

https://nutritionfacts.org/topics/vitamin-d-supplements/